[dropcap]A [/dropcap]principal indicação para o uso desses medicamentos em pacientes pediátricos é a presença de ansiedade, medo ou fobia intensa que prejudique a realização dos procedimentos odontológicos. Os mais utilizados são do grupo dos Benzodiazepínicos em paciente infantil.

Benzodiazepínicos→ utilizados como sedativos, hipnóticos, relaxantes musculares, para amnésia anterógrada e atividade anticonvulsionante.

Podem ser empregados em crianças e não devem ser usados com outros depressores do sistema nervoso central (SNC), como analgésicos opioides e anti-histamínicos.6 Estes últimos, mesmo quando administrados em pequenas quantidades, como em remédios para resfriados, podem exacerbar o efeito depressor do SNC dos agentes ansiolíticos.

Efeitos colaterais: incoordenação, confusão, apatia, fraqueza, tontura e sonolência.

Na clínica infantil, um benzodiazepínico indicado, para procedimentos de curta duração, é o midazolam (0,3 a 0,5 mg.kg–1 de peso corporal, via oral), devendo ser administrada de 30 a 45 minutos antes do procedimento odontológico.


O hidrato de cloral é um sedativo-hipnótico popular na Odontologia pediátrica, devido à sua ampla margem de segurança, com poucos efeitos adversos. Contudo, pode deprimir a respiração, não devendo ser administrado em pacientes cuja respiração já esteja comprometida.

Efeitos indesejáveis do hidrato cloral são: confusão, sonolência e comprometimento psicomotor.

É comumente utilizado em combinação com o óxido nitroso. Desde o final da década de 50, houve um aumento do interesse no uso do óxido nitroso na Odontologia para o alívio da ansiedade na forma de sedação consciente.

Referência; Carmo ED, Amadei SU, Pereira AC, Silveira VAS, Rosa LEB, Rocha RF. Drugs prescription in pediatric dentistry. Rev Odontol UNESP. 2009; 38(4): 256-62.

Autor:

jeff

Jefferson P. Oliveira, 24 anos. Acadêmico do 5º ano do  curso
de Odontologia da Universidade Positivo, Curitiba – PR

ENVIE UMA RESPOSTA