Aspectos Anatômicos 

O sistema mastigatório é composto por ossos, ligamentos, músculos e dentes. Participa da mastigação, fala, paladar, respiração entre outros. Um de seus componentes mais ativos é a ATM.

A ATM é uma articulação composta ginglemoidal e artroidal. Suas superfícies articulares são: disco articular, eminência articular, fossa mandibular e côndilo. A parte posterior da eminência articular e o côndilo( pólo medial mais volumoso e posterior) são envoltos por fibrocartilagem, tecido extremamente resistente. O disco articular também é composto por fibrocartilagem, sendo mais fino na zona intermediária. Ele é avascular e não invernado, por exceção da borda periférica. Os ligamentos participantes desta articulação são: esfeno e estilomandibular (acessórios), temporomandibular, cápsula articular (evita a separação das superfícies) e os discais ou colaterais (prendem o disco ao côndilo). A nutrição e lubrificação da ATM são feitas pelo líquido sinovial, produzido pela membrana sinovial. A renovação nutricional deste líquido é feito pela zona retrodiscal.

É uma zona trilaminar:

– feixes superiores: elásticas, retornam o disco nos movimentos de fechamento

– feixes inferiores: colágenas

– zona interlaminar: onde está localizas os vasos e nervos

A inervação da ATM é feita pelo V/3 (auriculotemporal, massetérico e temporal profundo) e a irrigação pela ª temporal superior, meníngea média e maxilar.

Biomecânica da ATM 

A ATM pode ser dividida basicamente em dois sistemas articulares. O primeiro envolve o chamado complexo côndilo-disco. A conexão de ligamentos entre essas duas estruturas, principalmente os ligamentos discais, determina que tal complexo seja responsável pelos movimentos rotacionais da articulação. O outro sistema articular que podemos descrever é o complexo côndilo-disco articulando com a fossa articular. Este sistema responsabiliza-se pelos movimentos de translação, onde o côndilo deixa a fossa mandibular.
Para a saúde funcional da ATM e desses sistemas que a compõem, faz-se necessário que as superfícies articulares estejam sempre em contato, determinando assim certa estabilidade. Esta é promovida essencialmente pela chamada pressão interarticular, caracterizada pela intensidade com que o côndilo pressionará o disco, valendo ressaltar que esta pressão variará circunstancialmente.Assim, dependendo da situação apresentada, a pressão interarticular pode aumentar ou diminuir. O espaço entre as superfícies dá-se de maneira inversamente proporcional a pressão interarticular. Assim, quando maior a pressão, menor o espaço. Portanto, percebe-se que a morfologia peculiar do disco é essencial para a manutenção desta estabilidade, pois por apresentar 3 regiões com espessuras distintas, poderá se rotacionar e se interpor entre as superfícies de maneira precisa.
Os movimentos de rotação do disco são determinados pelas estruturas nele inseridos como:

lâmina retrodiscal superior e fibras do músculo pterigóideo lateral superior. Para descrever suas ações, devemos analisar duas situações: abertura e fechamento normal da boca e mordidas fortes.

Quando o sistema estomatognático encontra-se em repouso, o tônus do músculo pterigóideo lateral é superior a tração elástica exercida pelas fibras da lâmina retrodiscal superior. Dessa forma, o côndilo é mantido em posição mais anterior e medial. Quando ocorre abertura, o disco acompanhará o movimento de translação, tracionando as fibras elásticas inseridas nele. Este tracionamento acabará por infligir ao disco uma posição mais posterior. Durante o fechamento, o músculo pterigóideo lateral superior se ativará, posicionando o disco em posição mais anterior novamente.
No caso de mordidas fortes, ocorre uma diminuição da pressão interarticular no lado ipsilateral a mordida.Por tal razão, ocorrerá igualmente um aumento do espaço interarticular.Para não ocorrer a separação das superfícies deste lado, o músculo será ativado, tracionando o disco para uma posição mais anterior, fazendo com que o côndilo se relacione com a parte posterior, mais espessa do disco.

A medida que for ocorrendo a intercuspidação, a pressão interarticular voltará a aumentar, diminuindo o espaço entre as superfícies. Neste caso, o disco será rotacionado de forma que o côndilo repouse sobre sua zona intermediára.
Portanto, percebe-se que a ATM faz parte se um processo complexo do sistema estomatognático, cuja funcionalidade depende intrinsecamente da ação limitadora dos ligamentos e posicionadora do músculo; assim como a de seus demais componentes.

 

ENVIE UMA RESPOSTA