Critérios básicos para diagnóstico em dor

  1. conhecimento anatômico da região envolvida;
  2. entendimento das características clínicas demonstradas pelas diferentes categorias de dor.

Dor temporomandibular

  • Função
  • Aspectos psicosocioemocionais da dor

Dor somática (do corpo)

  •  Função protetora;
  •  Respostas e estímulos de receptores nociceptivos;
  •  Há proporcionalidade na relação estímulo x resposta;
  •  Pode ser superficial, profunda e visceral;

Ex.: odontotologia, DTM, sinusite.

Dor neuropática

  •  Dor é a enfermidade;
  •  Anormalidade nas vias de condução do estímulo doloroso;
  •  Respostas desproporcional do estímulo;
  •  Podem ser episódio ou contínuo;

Ex.: neuralgia do trigêmio.

Dor aguda

  •  Sofre um dano tecidual;
  •  Função biológica de alerta;
  •  Desaparece com a resolução do dano tecidual que a gerou;
  •  Curta duração – menor que 3 meses;
  •  Taquicardia, sudorese, agitação, ansiedade.

Dor crônica

  •  Muitas vezes não se relaciona com a lesão;
  •  Sem função de alerta;
  •  Persiste após a resolução do dano que a gerou;
  •  Desenvolvimento lento.

Image354

Dor somática Superficial

  •  Tem origem nos tecidos cutâneos ou mucogengivais (lesão);
  •  Resposta proporcional ao estímulo nociceptivo;
  •  Dor viva, estimulante, precisa localização;
  •  Local e origem da dor são os mesmos;
  •  Se resolve com resolução da lesão.

Dor somática profunda

Musculoesquelética/visceral + neurovasculares;

  •  Tem origem nos tecidos profundos do organismo;
  •  Localização geralmente difusa e imprecisa;
  •  Dor tem características monótonas e depressiva;
  •  Geralmente a área que a dor é sentida é maior que a origem;
  •  Nem sempre o local da dor coincide com a origem;
  •  Tendem a induzir sensibilização central;

Ex:. DTM, dor periodontal;

Toda dor profunda pode induzir sensibilização central.

Dor somática profunda visceral

  •  Mantém características da dor somática profunda;
  •  Envolve receptores de alto limiar interceptivos;
  •  Dor não é desencadeada até que limiar seja atingida;
  •  Não tem respostas proporcionais ao estimulo;
  •  Difícil localização;

Ex:. dor pulpar, dor ocular, dor articular, dor neurovascular.

Disfunções temporos-mandibulares

“As DTM são um termo coletivo que abrangem as alterações funcionais da ATM e/ou os músculos da mastigação”.

OLIVEIRA, W. 2002

  • Sinais Cardinais
  •  Dor na face;
  •  Ruídos na articulação;
  •  Limitações funcionais.

Conteúdo baseado na aula do Prof. Daniel Bonotto
Contribuição: Leonardo M. Sant’Anna
Fonte da imagem: southwestoralsurgeryutah.com

ENVIE UMA RESPOSTA