[dropcap]E[/dropcap]stas Classes são baseadas nas relações mesiodistais dos dentes, arcos dentários e maxilares, as quais dependem primeiramente das posições mesiodistais assumidas pelos primeiros molares permanentes, nas suas erupções e correlações. Daí, ao diagnosticarmos casos de maloclusões, a obrigação de considerar, em primeiro lugar, a relação mesiodistais dos maxilares e arcos dentários, indicadas pela relação dos primeiros molares inferiores com os primeiros molares superiores – as chaves de oclusão; e, em segundo, as posições individuais dos dentes, cuidadosamente anotando suas relações para a linha de oclusão.

Classe I – arcos dentários em relação mesiodistal normal.

Classe II – arco inferior distal ao normal em sua relação para o arco superior.

  • Divisão 1 – Distal bilateralmente, com incisivos superiores em protrusão. Originariamente, pelo menos, associada a respiração bucal.
  • Subdivisão – distal unilateralmente, com incisivos em protrusão. originariamente, pelo menos, associada a respiração bucal.
  • Divisão 2 – distal bilateralmente, com incisivos superiores em retrusão. Respiradores normais.
  • Subdivisão – unilateralmente distal, com incisivos superiores em retrusão. Respiradores normais.

Classe III – Arco inferior mesial à sua relação normal com o arco superior.

  • Divisão 1 – mesial bilateralmente
  • Subdivisão – mesial unilateralmente [divider]

Conteúdo retirado do livro do ortodontista João Baptista

Autor:

jeff

 

 

Jefferson P. Oliveira, 24 anos. Acadêmico do 5º ano do  curso
de Odontologia da Universidade Positivo, Curitiba – PR

 

ENVIE UMA RESPOSTA