O que é dor neuropática?

  • Gerada no SNC e SNP
  • Alteração na via de condução do estímulo;
  • Dor mesmo com ausência de estímulo.

Características clínicas

  •  Choque elétrico;
  •  Queimação;
  •  Hiperalgesia –  sensibilidade aumentada;
  •  Anestesia;
  •  Paroxismo (manifestação brusca).

Neuroplasticidade

  • Neurônio de 2° ordem fica hiper-excitado;
  • Ocorre por excesso de estímulo nociceptivo, perda de informação aferente ou de forma idiopática.
  • *Um impulso aferente não nociceptivo passa a produzir dor.

Quais as dores neuropáticas que precisamos conhecer?

  1. Neuralgia do trigêmio;
  2. Neuralgia do glossofaríngeo;
  3. Neuralgia do intermédio.

Neuralgia do trigêmio

  •  Dor em coque elétrico;
  •  Intensidade severa;
  •  Curta duração;
  •  Unilateral;
  •  Geralmente afeta apenas um ramo;
  •  Dor correspondente ao trajeto do nervo;
  •  Desencadeada por estímulo leve;
  •  Áreas de gatilho;
  •  Remissão espontânea.
  •  Maior incidência acima dos 70.

Neuralgia x odonto

  •  A percussão de um dente pode desencadear dor;
  •  Exodontia ou anestesia pode interromper o paroxismo por dias ou semanas.

Sintomas pré-neuralgicos

  •  Odontalgia;
  •  Pontadas;
  •  Desconforto/parestesia.

Tipos de neuralgia do trigêmio

  •  Neuralgia idiópatica;
  •  Neuralgia do V associada à alterações sistêmicas;
  •  Neuralgia do V secundário a tumor intra-craniano.

Tratamento

1.  Carbonazepina 600 a 1600ng/dia;

  •  Discrasia sanguínea;
  •  Sedação;
  •  Hepatotoxicidade;

2. Gabapentina 300 a 900ng/dia; (Neurotrin®)

  •  Doses crescentes;
  •  Menos efeitos colaterais;
  •  Curta elevado;

Neuralgia do Glossofaríngeo

  •  Dor em choque elétrico;
  •  Região de amídalas e ouvido;
  •  Diagnóstico diferencial:
    Neuralgia do V;
    DTM muscular e articular;
    Sindrome de Eagle (sem disco articular).

Neurite

  •  Alteração nas fibras aferentes (1°neurônio)
  •  Causas traumáticas infecções tóxicas;
  •  Dor com características de queimação, ferroadas;
  •  Geralmente constante, exacerbada quando estimulada;
  • Parestesia, hiperestesia.

Contribuição: Leonardo Martins Sant’Anna

ENVIE UMA RESPOSTA