Histopatologia Bucal Básica 

[dropcap]T[/dropcap]oda alteração macroscópica, patológica ou não, decorre de uma alteração a nível celular, ou seja, microscópica. Algumas dessas alterações, reversíveis, são citadas a seguir:

  • Hiperqueratose: refere-se a produção excessiva de queratina, decorrente de algum estímulo externo.  Pode ser orto, quando a queratinização é total, pura ou para, quando é parcial, ou seja, ainda há núcleos no interior das células.
  • Acantose: refere-se ao aumento do número de células da camada espinhosa (aquela que apresenta acantos).Há uma mudança de cor, uma vez que, pelo aumento da camada celular, afasta-se dos vasos sanguíneos. Chega a ser um tipo de hiperplasia.
  • Acantólise: refere-se ao rompimento das ligações intercelulares, dos acantos. Acontece, por exemplo, no fogo selvagem. Perda de adesão desmossômica. Principio da formação da bolha.
  • Hiperplasia: aumento do número de células de um tecido. Lembre que a hipertrofia refere-se tanto ao aumento do número de células, como pelo aumento de volume dessas células.
  • Atrofia: diminuição do número de células e/ou seu volume.
  • Metaplasia: formação de um tecido em um local que não é o seu de origem.Ex: estratificação do trato respiratório.
  • Exocitose: infiltração de células inflamatórias no tecido epitelial.
  • Displasia/atipia: crescimento celular com alteração morfológica. Principio da formação cancerígena. Isso acontece por uma mudança mutagênica. Que determina uma síntese protéica distinta, e consequentemente, uma morfologia diferente da original.
  • Coilocitose: aparecimento de um halo esbranquiçado no espaço perinuclear. Refere-se geralmente a invasão viral. Príncipio da análise do papanicolau.
  • Espongiose: edema intracelular epitelial. Pelo aumento de volume do citoplasma, o núcleo é rechaçado para a periferia.

Mucosa Normal da Boca 

Dividida, segundo a exposição aos esforços mastigatórios ou à presença de um neuroepitélio em: mastigatória, revestimento ou especializada. Temos as papilas gustativas no dorso e lateral da língua.

O tecido da mucosa bucal é epitélio de revestimento estratificado pavimentoso queratinizado ou não.

Temos alguns tipos celulares no epitélio bucal:

– Queratinócitos, melanócitos e células claras.

* Existem três tipos de células claras: melanócitos sem melanina, células de Merckel (são derivadas da crista neural, desenvolvendo assim uma função sensitiva) e células de Langerhans ( provenientes da medula, são apresentadoras de antígenos, funcionando para a capacidade protetora característica dos tecidos epiteliais).

Fonte da imagem: conganat.org/

ENVIE UMA RESPOSTA