A herpes é uma doença, causada por um vírus, que afeta principalmente a região genital e mucosa da boca.  Ela conta com períodos de latência (sem lesões) e reativação com apresentação clínica da doença e sua transmissão se dá por contato mucocutâneo direto com secreções infectadas.

O contágio pode acontecer por contato com secreções contaminadas: beijo, objetos de uso pessoal, instrumentos contaminados, entre outros.

Alguns sintomas da infecção por HSV são:

  • Gengivoestomatite
  • Herpes genital
  • Herpes ocular
  • Queratite herpética
  • Encefalite herpética.

– HSV1

  • Disseminação por saliva infectada ou contato direto com lesões peribucais ativas;
  • Ativação em região bucal, peribucal, facial e ocular;
  • Faringe, intrabucal, labial, olhos e pele acima da cintura.

-HSV2

  • Causa lesões semelhantes (morfologia e história natural) em genitália e pele abaixo da cintura, em ambos os sexos;
  • Indivíduos com vida sexual ativa;
  • Infecção cruzada bucogenital;
  • Associação com classe socioeconômica mais baixa, com aumento progressivo de taxas de infecção.

Condições que favorecem o aparecimento de lesões –

  • Baixa Imunidade
  • Estresse emocional
  • Radiação UV
  • Trauma
  • Gravidez
  • Alergias
  • Alterações respiratórias
  • Idade avançada
  • Menstruação
  • Doenças sistêmicas
  • Neoplasias malignas
  • Quimioterapia
  • Medicações, entre outras…[divider]

Gengivoestomatite herpética primária aguda

Causada pelo HSV1, apresenta-se na mucosa através de vesículas puntiformes que se rompem e formam lesões pequenas avermelhadas que aumentam e formam areas de ulceração. A gengiva se mostra aumentada e dolorosa. Outros sintomas envolvem cefaleias, faringites, tonsilites e febre.  A dificuldade de degluticação é acentuada.

Os locais de prevalência das lesões são:

  • Gengiva inserida
  • Mucosa labial
  • Língua
  • Palato
  • Orofaringe[divider]

Herpes recorrente

  • Latência do vírus em gânglios nervosos e reativação em 40% dos infectados;
  • Aparecimento de lesões labiais e peribucais mais comuns
  • Sintomas gerais: febre, mal estar, anorexia, linfadenopatia bilateral
  • Após a incubação: prurido, queimação e ardor, pequeno aumento de volume, acompanhada ou não de neuralgia,
  • Surgimento de vesículas pequenas e agrupadas [1] bolhas que rompem, ulceram e tornam-se cobertas por um exsudato branco-acinzentado.

Locais de prevalência:

  • Contorno dos lábios
  • Rosto
  • Órgãos genitais
  • Nádegas
  • Pacientes com comportamento duvidoso podem apresentar lesões perianais e ou anais (proctite), coalescentes ou não, podendo ser acompanhadas de dor, corrimento e parestesia sacral;
  • As vesículas de herpes rompem-se deixando um exsudato hemorrágico;
  • As lesões tendem a cicatrizar em 10 a 14 dias sem deixar cicatrizes;
  • Lesões recorrentes tendem a se desenvolver na mesma localização e como resposta ao mesmo agente desencadeante.

Histopatologia

  • Edema intraepitelial
  • Células acantolíticas
  • Citologia esfoliativa: boa técnica para avaliar pacientes com possível infecção herpética;
  • Fluido de vesículas recentemente ulceradas revela mudanças morfológicas típicas em tecido epitelial: Células multinucleadas com núcleo envidraçado.
  • Técnica fácil e confiável
  • Biópsia não indicada;

Tratamento

  • Lesões recorrentes: Aciclovir creme ou comprimidos
  • Lesões herpéticas primárias:
  • Antibióticos
  • Antiinflamatórios
  • Analgésicos
  • Anestésicos locais

Conteúdo baseado na aula e resumo da Profª Ana Paula Ribeiro Braosi

Autor:

jeff

Jefferson P. Oliveira, 24 anos. Acadêmico do 5º ano do  curso
de Odontologia da Universidade Positivo, Curitiba – PR

ENVIE UMA RESPOSTA