A moldagem é um recurso muito utilizado na odontologia para reproduzir um molelo da boca do paciente. Para a confecção de uma prótese total, é indispensável. Existem dois tipos de  moldagem e vocês vão entender a diferença a seguir.

Moldagem:é o ato de moldar o paciente, de obter o molde
Molde: é a reprodução em negativo da parte da boca que foi moldada
Modelo: é a réplica da boca do paciente oriunda do preenchimento do molde(geralmente em gesso)

Utiliza-se duas moldagens em Prótese Total:

  1. Moldagem anatômica ou preliminar, utiliza moldeira de estoque e tem a função de:
  • cópia da conformação geral da boca
  • afastar a musculatura móvel
  • obter o molde no estado de afastamento muscular
  • permitir correta delimitação da área basal ou chapeável
  • permitir a confecção de moldeira individual
  • ajudar na necessidade ou não de cirurgia pré-protética

Materiais e instrumentos necessário para uma moldagem anatômica:

  • alginato
  • gral espátula
  • lecron e espátula de cera
  • cera utilidade
  • jogo de moldeiras

Posição paciente-operador:

  • Paciente: sentado comodamente com a cabeça e o tronco apoiados no encosto, ligeiramente inclinados para trás;
  • Operador: comissura labial do paciente na altura do cotovelo do operador

Movimentos da moldagem:

  1. Introdução
  2. Centralização
  3. Aprofundamento

Técnica de moldagem:

  • boca semi-aberta
  • introdução com giro da moldeira
  • centralização de acordo com a linha média
  • aprofundamento, afastar a musculatura – maxila: de posterior para anterior
  • sem movimentar a moldeira, traciona-se a musculatura em direção à moldeira
  • em caso de moldagem de mandíbula, solicitar ao paciente que coloque a língua em direção ao palato
  • aguarda-se a geleificação
  • remoção, com movimento de posterior para anterior
  • crítica do molde
  • lavar em água corrente e borrifar solução de hipoclorito de sódio

Preparação da moldeira com cera utilidade:

Maxila

  • dique na região posterior: para evitar o escoamento do material para a porção posterior
  • guia na região central: para determinar um stop na região central, a fim de evitar um aprofundamento excessivo

Importante:

Fundo de vestíbulo é a região de maior interesse e a mais difícil de ser moldada.

Vazamento de gesso:

  • antes do vazamento de gesso do molde inferior, confeccionar a “língua”, a fim de se obter um molde na forma superior
  • fazer um volume lateral e alto de gesso o suficiente para poder recortar
  • os moldes são então preenchidos com gesso pedra, depositando-o em uma única área, com o auxilio de um vibrador, deixar escorrer para o restante do molde

Observações importantes sobre o vazamento do gesso:

  • separar molde modelo antes do ressecamento do alginato
  • não inverter o molde para baixo
  • durante o recorte com o recortador de gesso, cuidar com a área basal [divider]

Moldagem funcional para protese total convencional

Dinânima, funcional ou final

  • obter a retenção do futuro aparelho
  • obter conformidade no assentamento da base
  • obter fidelidade anatômica da área basal
  • aliviar áreas de alivio
  • necessita de moldeira individual

Moldeira individual: feita para uma determinada boca, geralmente de resina acrílica.

Programação de bordas:

  • Godiva, silicona, densa, cera, resina
  • fazero selamento periférico
  • etapa de maior dificuldade da moldagem funcional
  • godiva: maxila – 3 etapas; mandíbula – 4 etapas

Moldagem propriamente dita

  • correção das imperfeições
  • justeza de molde
  • refinamento da retenção
  • materiais: resina, pasta zinco eugenólica, mercaptanas, poliéters

Procedimentos finais:

  • selamento posterior
  • proteção de bordas
  • vazamento de gesso

Cuidados

  • manter volume para recorte
  • gesso pedra
  • separação para fonte de calor
  • não danificar o molde

 Moldagem funcional modificada

  • fazer uma perfeita delimitação da área basal olhando diretamente na boca do paciente
  • confeccionar uma moldeira individual justa com pouco espaço com a mucosa
  • só assim poderemos tentar evitar a programação de bordas

Vantagens x Desvantagens

  • não necessita de progamação de bordas
  • fácil limpeza
  • material de baixa temperatura
  • aceita-se alterações
  • custo relativamente baixo
  • separação do modelo por meio de calor
  • ótimo tempo de trabalho

Conteúdo retirado da aula da Profº Bárbara Pick Ornaghi

1 COMENTÁRIO

ENVIE UMA RESPOSTA