[dropcap]A[/dropcap]nomalias oclusais que se caracterizam pela inversão da oclusão dos dentes posteriores, no sentido vestíbulo- lingual. Geralmente observada na prática ortodôntica nas diferentes etapas de desenvolvimento da dentição com frequência de 8 a 16% da população. Esta constância uniforme de mordida cruzada posterior indica que, normalmente, este problema se desenvolve precocemente e, raramente, corrige-se espontaneamente.

Etiologia

Dentição decídua – irrupção dos caninos decíduos que mostram uma relação de topo a topo, e a mandíbula tenderá a sofrer desvios para a esquerda, direita ou anteriormente, cruzando a mordida (adaptação funcional). E não se auto-corrige.

Respiração bucal e hábitos de sucção de dedo e/ou chupeta –

  • pressionamento lingual atípico
  • força postural produzida na área dentofacial
  • perda precoce ou retenção prolongada dos decíduos
  • deficiência lateral da maxila determinada geneticamente
  • más-formações congênitas de lábio e palato

(!) O tratamento devo ocorrer no momento em que for detectada essa má-oclusão. O tratamento interceptador permite o restabelecimento do equilíbrio funcional e possibilita um crescimento e desenvolvimento normal da criança.
lassificação de Muller de AraújoRelações laterais posteriores dos arcos 

  1. Normal
  2. Mordida cruzada lingual unilateral
  3. Mordida cruzada vestibular – Broad
  4. Mordida cruzada lingual bilateral

Dentária Unilateral

Geralmente é de primeiro molar superior permanente, com ou sem desvio da linha mediana. O tratamento consiste em:

  • Se o molar superior estiver inclinado para lingual e o molar inferior estiver para vestibular, então os dois devem ser movimentados ⇒ elásticos intermaxilares cruzados.
  • Se não houver inclinação recíproca ⇒ placa acrílica com uma mola.
  • A linha média dos incisivos está coincidindo ⇒ indica a ocorrência de uma contração dento-alveolar na região posterior.

– aparelho removível com torno assimétrico.
– quadrihélice com ativação no lado da contração.

Dentoalveolar Mandibular 

A contração unilateral da mandíbula é rara. A contração bilateral causada apenas por inclinação lingual dos dentes é bem tratada através do arco lingual tipo quadrihélice ou aparelhagem fixa.

Funcionais ou Neuro-musculares 

Quando por mecanismos funcionais, através de contatos prematuros, a mandíbula pode desviar lateralmente, ocorrendo a mordida cruzada por acomodação. O diagnóstico consiste em observar a linha média.
Tratamento: desgaste dos caninos decíduos OU expansão bilateral com placa removível ou quadrihélice

Má relação muscular 

Tem-se uma atresia simétrica do arco dentário superior, o que leva a uma posição instável em relação cêntrica, forçando a mandíbula a deslocar-se em busca de uma intercuspidação estável.

Muscular x Dentária 

São bastante similares exceto que nas musculares, os ajustes musculares são mais significantes que a má posição dentária. Na dentária os dentes deverão ser movimentados, e na muscular ajustes oclusais devem ser obtidos, permitindo uma mudança no reflexo de posicionamento mandibular.

Esqueléticas 

As bilaterais são caracterizadas por uma atresia total da arcada superior, causando como consequência, uma discrepância ósseo-dentária. São mais raras e podem ser causadas por traumas ou fatores genéticos.
lassificação de Muller de Araújo-3
Displasias ósseas ou esqueléticas: 

As alterações no crescimento ósseo e/ou na sua morfologia podem produzir mordidas cruzadas de duas maneiras

  • crescimento assimétrico da maxila ou mandíbula
  • deficiência de harmonia nas larguras básicas da maxila e da mandíbula

Pode ser o resultado de:

  • padrões de crescimento herdado
  • trauma que impede o crescimento normal
  • deslocamento mandibular funcional por um longo período

O arco mandibular pode ocluir completamente dentro do arco maxilar. Classe II. Na hipertrofia mandibular e prognatismo. Classe III. O estudo cefalométrico frontal da face permite uma definição mais adequada do problema.

Tratamento para mordida cruzada esquelética: disjuntor palatino.

Expansão rápida da maxila 

Indicações

  • fenda palatina
  • estenose nasal
  • anomalias de Classe I, II e III com deficiência maxilar
  • mordidas cruzadas posteriores

Contra-indicações

  • mordida cruzada de origem dentária
  • adultos acima de 25 anos, pois oferecem muita resistência na separação da sutura

Tipos de disjuntores

Haas: parafuso soldado em bandas mais resina acrílica nas paredes laterais do palato.
Hyrax: parafuso soldado em bandas
Mc Namara: Hyrax com recobrimento oclusal de acrílico

ENVIE UMA RESPOSTA