Conceitos da obturação na endodontia:

Consiste no selamento hermético do canal radicular com materiais inertes e/ou antissépticos, eliminando o espaço anteriormente ocupado pela polpa dental, e que fora limpado e modelado através do preparo químico-mecânico”

“A fase final do tratamento endodôntico consiste em obturar todo o sistema de canais radiculares, de modo completo e compacto, com agentes não irritantes, com boas propriedades físico-químicas, com o objetivo de assegurar um selamento mais hermético, dificultando infiltração, impedindo reinfecção e criando um ambiente biológico propício para que se processe a cicatrização dos tecidos periapicais.”

COHEN & BURNS, 1994

“É possível em condições favoráveis eliminar o espaço “morto” mediante a obturação hermética do canal radicular, após prévio tratamento deste, fazendo assim cessar possível trânsito, via forame, das bactérias patogênicas”.

MATHIS & WINKLER (1945)

Objetivos principais para a obturação do canal radicular

  • Selamento (evitar espaços vazios)

“A principal forma de suprimento de substratos para bactérias remanescentes em regiões do canal dá-se através da percolação de fluidos oriundos dos tecidos perirradiculares, via forame apical, e pelo espaço existente entre o material obturador e as paredes do canal, resultante do selamento apical inadequado.”

SIQUEIRA-JR. et al., (1999).

  • Estimular e permitir reparo (finalidade biológica)

Obturar o canal radicular significa preenchê-lo em toda a sua extensão com um material inerte e anti-séptico, obtendo assim o selamento o mais hermético possível  daquele espaço, de modo a não interferir e, se possível, estimular o processo de reparo apical e periapical, que deve ocorrer após o tratamento endodôntico radical.

LEONARDO & LEAL (1991)

  • Antimicrobiana

Evitar o desenvolvimento de bactérias dentro do canal radicular, podendo gerar lesão.

[divider]

Qual é o momento ideal para a obturação?

Com o canal corretamente modelado, ausência de dor, ausência de exsudato e selamento coronário íntegro.

Limite Apical:

1mm aquém do ápice radiográfico (CT – comprimento de trabalho)

Técnicas de obturação:

  • Schilder (1967)
  • Biológica
  • Clássica
  • [highlight]Técnica da Condensação Lateral[/highlight]
  • Condensação termomecânica da guta-percha (McSpadden, 1980)
  • [highlight]Técnica Híbrida de Tagger (1984)[/highlight]

[tabs type=”horizontal”][tabs_head][tab_title]Leia mais…[/tab_title][/tabs_head][tab]Para saber mais sobre as técnicas da Condensação Lateral e Técnica Hibrida de Tagger, clique aqui[/tab][/tabs]

[author image=”https://fbcdn-sphotos-e-a.akamaihd.net/hphotos-ak-frc1/486052_4576189795142_2075189094_n.jpg” ]Jefferson P. Oliveira, 24 anos. Acadêmico do curso de Odontologia da Universidade Positivo, Curitiba – PR [/author]

1 COMENTÁRIO

ENVIE UMA RESPOSTA