As restaurações indiretas são muito utilizadas na odontologia. Elas podem ser Inlay, Onlay ou Overlay, cada uma com suas características. Nesse post você vai aprender as vantagens dessas restaurações indiretas.

Vantagens:

  • Mais fácil de reproduzir os contatos interproximais;
  • Minimiza a contração de polimerização a apenas uma fina camada do cimento resinoso usado para a fixação;
  • O material restaurador apresenta melhores propriedades em comparação com as resinas diretas.

Indicações:

  • Restaurações amplas em dentes posteriores;
  • Istmo oclusal maior que a metade da distância intercúspidea ou quando o preparo envolver uma ou mais cúspides;
  • Quando uma restauração estética seja necessária e uma coroa total não seja desejada.

Características do preparo: INLAY/ONLAY/OVERLAY

inlay imagem

Caixa Proximal:

  • Parede vestibular e lingual expulsiva;
  • Parede axial plana e levemente expulsiva no sentido axioproximal com terminação em chanfrado;
  • Ângulos externos arredondados.

Caixa Oclusal :

  • Abertura Vestíbulolingual de 1,5 a 2mm;
  • Parede pulpar plana;
  • Profundidade oclusal 2 mm;
  • Parede vestibular e lingual levemente expulsiva;
  • Ângulos internos arredondados;
  • Ângulo cavossuperficial nítido e sem bisel.
  • Chanfro nas cúspides de contenção cêntrica para ONLAY/OVERLAY

Vantagens do Chanfro:

  • Linha de acabamento reproduzida com material restaurador;
  • Transição estética e configuração adesiva favoráveis;
  • Escoamento para o cimento resinoso;
  • Ângulos internos arredondados.

Desvantagens do Chanfro:

  • Dificuldade de se obter acabamento das restaurações indiretas;
  • Maior risco de fratura marginal. 

Brocas para preparo:

  • 2135: Extensão do sulco central
  • 3131: Preparo proximal
  • 4138: Canaletas e caixas oclusais
  • 3139F/4138F: Acabamento do preparo

DICA: As paredes e margens do preparo devem sofrer acabamento com brocas multilaminadas e instrumentos manuais com o intuito de proporcionar paredes e margens lisas e definidas que facilitam as etapas de moldagem, confecção e adaptação da restauração.

Escolha de cor:

Técnica da “estratificação natural”. Ela deve escolher a cor da dentina na região cervical do dente e do esmalte no terço oclusal utilizando a escala VITA. 

Provisórios:

  • Resina fotoativada específica que apresenta uma consistência borrachóide após sua fotopolimerização como Systemp, Bioplic..;
  • Resina acrílica quimicamente ativada fixada com cimentos provisórios;
  • Resina composta fotopolimerizavel sem o uso de adesivo na cavidade.

Prova da peça (observar):

  • Ponto de contato interproximal;
  • Adaptação marginal;
  • Contorno;
  • Cor.

DICA: Não prove a restauração indireta sob isolamento absoluto, pois um pequeno deslocamento proximal do dente que recebe o grampo pode interferir na exata relação da distância interproximal. Com isso o profissional pode erroneamente ajustar áreas proximais da restauração e comprometer o ponto de contato interproximal.

Preparo da peça (Cerâmica):

  • Condicionamento com ácido fluorídrico (8 a 12%);
  • Silanizaçao.

Preparo da peça (Resina composta):

Preparo do dente:

Cimentação:

  • Cimento DUAL, Autocondicionante ou resina composta micro-hibrida ou nanoparticulada (nesse caso um aparelho para aquecer o compósito e favorecer seu escoamento deve ser empregado).
  • Fotopolimerizar cada face por 60 segundos. [divider]

 

Referências:
Livro: Dentística: Saúde e Estética de Ewerton Nochi Conceição;
Aulas de Inlay e Onlay da Universidade Positivo.

Imagem em destaque: www.ordinacijaknego.hr

E se você quiser ficar sempre por dentro das novidades do Odonto Up, curta nossa página no facebook e siga a gente no Instagram @siteodontoup

Autor:

Fernanda Camila Graboski, Cirurgiã-Dentista graduada
em Odontologia pela Universidade Positivo, Curitiba – PR

ENVIE UMA RESPOSTA