Coroas metal-free

Existem no mercado já há algum tempo, mas não permitem uma adesão química adequada (ex. zircônia). As coroas compostas por cerâmica vítrea à base de Dissilicato de Lítio (e-max) vieram para mudar isso, pois permitem adesão química entre o substrato dentário e a peça protética através do sistema adesivo, permitindo três tipos de cimentação:

– cimentação adesiva
– cimentação auto-adesiva
– cimentação convencional

Este sistema protético é também conhecido como cerâmica injetada. Para sua confecção laboratorial, são necessários:

– forno especial
– pastilhas de cores
– anel
– enceramento livre de carbono

O protético faz o enceramento do elemento dental, faz a inclusão deste padrão de cera em um anel e com o material dentro do forno especial, ocorre a evaporação da cera e a inclusão das pastilhas de cores de cerâmica dentro deste anel. Parte-se para a desinclusão do dente e otimização da estética com pinturas e refinamentos.

O e-max pode ser utilizado para a confecção de várias peças protéticas, sendo mais comumente utilizado para a confecção de facetas e coroas.

Entre as vantagens do sistema estão:

– excelentes propriedades ópticas
– durabilidade
– longevidade
– previsibilidade do resultado
– semelhança com dentes naturais
– biocompatibilidade

Na confecção de facetas, o e-max se sobressai principalmente por possuir cimentos resinosos e adesivos que, além de possibilitar a adesão química, possuem ampla variedade de cores, não interferindo no momento da cimentação como ocorre com as demais coroas metal-free, principalmente quando trata-se de faceta translúcida.

Este sistema possui um índice de refração da luz semelhante ao esmalte dental, sem interferência significativa de translucidez, proporcionando um alto padrão estético.

Cimentação:

– Na cimentação convencional, após a prova clinica da peça, ajustes de oclusão e polimento, deve-se realizar jateamento de Óxido de Alumínio para criação de microporosidades;

– Limpa-se a peça completamente com água,

– Secá-la com jato de ar;

Condicionamento da peça protética:

– Submeter ao condicionamento ácido, com ácido fluorídrico a 5% e silanizar a superfície da peça com adesivo;

Condicionamernto do preparo:

– Deve-se limpar o remanescente dental e condicioná-lo com ácido fosfórico a 37%;

Após a completa limpeza do preparo, aplicar o sistema adesivo sobre o remanescente dental, escolhendo a cor adequada do cimento; remover excessos e fotopolimerizar.

Autor:

Ana Carolina da Silva, 26 anos. Acadêmica do 5º ano do  curso
de Odontologia da Universidade Positivo, Curitiba – PR

ENVIE UMA RESPOSTA