Instrumental necessário:

  • Cones principais
  • Cones acessórios
  • Cones absorventes
  • Espaçador digital
  • Cimento endodôntico
  • Placa de vidro não polida
  • Espátula flexível nº24
  • Calcadores de Paiva
  • Lamparina

1. Seleção do cone principal:

O cone principal deve ter um diâmetro correspondente ao DC (diâmetro cirúrgico).

2. Separar cones acessórios

Coloque aproximadamente 10 cones acessórios MF, mantendo os cones de guta-percha em hipoclorito de sódio.

3. Irrigar o canal

Fazer a irrigação do canal antes da prova do cone principal.

4. Irrigação final

Solução de EDTA (Ácido etileno diaminotetracético) a 17% por 5 minutos

  • Remoção de tecido inorgânico (smear layer)
  • Limpeza da parede do canal radicular
  • Exposição da entrada dos túbulos dentinários

Solução de hipoclorito de sódio (NaOCl) a 2,5%

  • Remoção do EDTA 17%
  • Remoção de tecido orgânico
  • Antimicrobiano

5. Prova do cone principal

Realizar os 3 testes:

  1. Visual: calibrar o cone no CT e marcar com a pinça
  2. Tátil: verificar o “travamento” do cone, que é sentida pela resistência na tentativa de remover o cone com a pinça. Travando no CT, você tem o encaixe perfeito do cone no ultimo milímetro do preparo.
  3. Radiográfico: deve ser realizado se os dois testes anteriores tiverem corretos.

6. Secagem do canal

Aspiração com agulhas de silicone roxas acopladas à cânula de aspiração (Capillary Tips, Ultradent) e Cones de papel absorventes. (Cone de papel igual ao DC).

7. Espatulação do cimento endodôntico

Cimentos à base de óxido de zinco e eugenol (Endofill, Fillcanal). Pó + líquido. O cimento deve possuir a consistência de Ponto ou Fio de bala.

8. Colocação do cimento

Instrumento endodôntico, propulsor de lêntulo e cone.

Passos da Técnica:

  • Inserir o cone principal com cimento no canal
  • Inserir espaçador digital
  • Remover espaçador digital
  • Inserir cone acessório
  • Repetir passos 2, 3 e 4 até preenchimento lateral satisfatório (quando 2 cones acessórios ficarem muito aquém do CT)

Verificar firmeza do material no canal.

9. Raio-X da prova da obturação

Verificar a qualidade da obturação

10. Corte da obturação

O corte deve ser realizado próximo ou abaixo da JCE (junção cemento-esmalte). Provido de uma lamparina, aquecer o condensador de Paiva até ficar bem aquecido e remover a parte superior dos cones principal e acessórios. Você também pode usar uma tesoura para cortar a ponta dos cones e depois fazer o corte com um condensador aquecido.

11. Condensação vertical

Importância – preencher espaços/bolhas
Instrumental – calcador de Paiva FRIO
Imediatamente após o corte com Paiva quente

12. Limpeza da câmara pulpar

Esse passo é muito importante porque evita que ocorra o escurecimento da coroa e a técnica é dada utilizando uma bolinha de algodão com álcool 70%.

13. Restauração/selamento provisório

Podem ser usados:

  • Coltosol
  • Obturador provisório (dentalville)
  • Cimpat
  • Cavitec
  • CIV
  • IRM
  • Pino + coroa acrílico provisória

Observar as indicações

14. Radiografia final

A importância dessa radiografia é verificar preenchimento, extravasamento e radiopacidade. Sem o isolamento absoluto e com posicionador radiográfico.

ENVIE UMA RESPOSTA