Técnicas Radiográficas Intrabucais

Técnicas Radiográficas Intrabucais

9 13225

Periapicais 

  • Bissetriz;
  • Bissetriz Modificada;
  • Paralelismo
Interproximais
  • Oclusais
Qual o número ideal de radiografias?
14 para uma boca normal e 10 para uma boca sem dentes
 
As indicações são:
Observar, avaliar, determinar
 
Considerações anatômicas:
  • determinação do longo eixo do dente;
  • posição da cabeça;
  • área de incidência
  • angulação do feixe de raio-x
  • localização do ápice dos dentes
Fatores que influenciam numa radiografia:
  1. tempo de exposição;
  2. filme
  3. processamento radiográfico;
  4. quilovoltagem;
  5. miliamperagem

Filmes radiográficos Intrabucais

Tipo

Periapical 1Interproximal 2Oclusal 3

Tamanho

0,1,2,3 e 4

Quantidade

Simples – 1; Duplo – 2

Sensibilidade

A, B, C, D, E e F

*Posicionamento da cabeça do paciente

Planos antropológicos e linhas de referência proporcionam radiografias com o mesmo padrão técnico 

Plano Sagital Mediano = perpendicular ao solo;

Plano de Camper = Tragus – asa do nariz

Plano Tragus – Comissura Labial 

Bissetriz

“Princípio geométrico que determina que dois triângulos são iguais se tiverem 2 ângulos iguais e lado comum”

Protocolo:

  1. posição da cabeça;*
  2. posicionamento do filme;*
  3. angulação vertical do localizador do aparelho;
  4. angulação horizontal do localizador do aparelho;
  5. área de incidência do fluxo central*
“LADO BRANCO VOLTADO PARA O RAIO-X”
Não apresenta película de chumbo nesse lado
 Em pé = incisivos e caninos;
Deitado = molares e pré-molares
Vantagens da Bissetriz
  • filme mais confortável;
  • posicionamento simples e rápido;
  • imagem real
Principal diferença do paralelismo e da bissetriz?
É a distância focal (foco-filme) Paralelismo 40cm e Bissetriz 20cm.
 Semelhança entre Bissetriz Modificada e Paralelismo?
Uso do posicionador.
Técnica Radiográfica Intrabucal Interproximal
Bite-wing 
INDICAÇÃO: faces proximais, adaptação de próteses, pesquisa de cáries interproximais, relação cárie-câmara pulpar, oclusão,  perda óssea, cálculos salivares, cristas alveolares, nódulos pulpares.
– Raio central SEMPRE direcionado para faces vestibulares
 Posição do filme: 
  • anteriores: vertical (2 a 3mm na borda incisal);
  • posteriores: horizontal (2 a 3mm)
Mossa sempre visível e voltada para incisais e oclusais
Critérios para execução 
  • exame do paciente;
  • posicionamento da cabeça do paciente;
  • divisão da arcada dentária: grupos de dentes e quadrantes;
  • posicionamento e manutenção dos filmes na boca;
  • radiografias inferiores  = indicador
  • radiografias superiores = polegar
“Relembrando…”
  • Efeito Thomsom
Energia do fóton é MENOR que a energia de ligação do elétron
  • Absorção foto elétrica
Energia do fóton é IGUAL  a energia de ligação do elétron
  • Efeito Compton
Energia do fóton é MAIOR  que a energia de ligação do elétron
  • Lei de bergonie e Tribondeau
“O efeito das radiações é maior nas células menos diferenciadas e em grande atividade reprodutora”
Classificação de Ellinger 
  • Linfócitos;
  • granulócitos;
  • mastócitos;
  • Cels. epiteliais;
  • Cels. endoteliais;
  • Cels. do tecido conjuntivo;
  • Cels. do tecido ósseo;
  • Cels. do tecido nervoso;
  • Cels. musculares
Radiossensibilidade 
  • Tecido Linfóide
  • Tecido Hematopoiético;
  • Epitélio Gastrointestinal;
  • Células Germinativas;
  • Cristalino
 Radiorreativas
  • Epitélio da pele;
  • Endotélio dos vasos;
  • Células das glândulas salivares;
  • Tecido ósseo e cartilaginoso;
  • Córnea conjuntiva;
  • Fibras do tecido conjuntivo
 Radiorresistentes 
  • Céls. renais, hepáticas e endócrinas;
  • Céls. ósseas e cartilaginosas maduras;
  • Céls. musculares e células nervosas (cérebro)

9 COMENTÁRIOS

Deixe um comentário