As articulações temporomandibulares são as articulações mais acionadas do nosso corpo, É uma articulação sinovial, condiliana, do tipo gínglimo, com superfícies fibrocartilaginosas e não de cartilagem hialina e possui um disco articular.

ATM

 

Compartimentos da articulação temporomandibular 

A ATM é dividida em um compartimento superior e um inferior, separado pelo dico articular. O compartimento superior é limitado superiormente pela fossa mandibular do osso temporal e inferiormente pelo próprio disco articular. Ele contém 1,2 ml de fluido sinovial, e é responsável pelo movimento de translação da articulação.

O compartimento inferior tem o disco articular como uma borda superior e o côndilo da mandíbula como uma borda inferior. Ele é ligeiramente menor, com um volume de fluido sinovial médio de 0,9 ml e permite movimentos rotacionais.

Componentes da articulação temporomandibular 

  • Fossa mandibular
  • Disco articular
  • Líquido Sinovial
  • Eminência articular do osso temporal
  • Cabeça da mandíbula
  • Cápsula articular
  • Ligamentos

Disco articular 

É uma estrutura com forma ovulada, fina. Situada entre o côndilo da mandíbula e a fossa mandibular. Divide a articulação em parte superior e inferior. Sua face superior é côncavo-convexa para se ajustar ao tubérculo e a fossa da mandíbula e sua face inferior é côncava para se ajustar ao côndilo da mandíbula. É vascularizado e inervado nas áreas periféricas, e na parte central é avascular e aneural.

Ele está dividido em 3 porções:

Anterior: espessa porção se localiza anteriormente ao processo condilar da mandíbula com a boca fechada; Intermediária: está localizada ao longo do tubérculo articular com a boca fechada
Posterior: localizada superiormente ao processo condilar da mandíbula com a boca fechada.


Zona bilaminar 

A porção mais posterior da articulação temporomandibular é denominada de zona bilaminar, está formada em um estrato superior, que está sujeito dorsalmente ao processo glenoide, ao conduto auditivo ósseo, à porção cartilaginosa do conduto auditivo e à fáscia da glândula parótida.  Já o estrato inferior insere-se na porção posterior do côndilo e é responsável pela estabilização do disco sobre o côndilo.

Entre eles encontra-se o plexo vascular da ATM com grande quantidade de vasos, nervos e tecido conjuntivo.


Cápsula articular 

A cápsula articular se origina a partir da borda da fossa mandibular, envolve o tubérculo articular do osso temporal e se insere na mandíbula acima da fóvea pterigoide. É tão solto que a mandíbula pode naturalmente se deslocar anteriormente sem danificar as fibras da cápsula.  capsla articular

 

Superfície interna ou membrana sinovial: recobre o côndilo, a eminência articular e o disco articular. O líquido sinovial confere viscosidade, elasticidade e plasticidade à articulação. As células sinoviais formam o liquido sinovial, que permite a nutrição da cartilagem avascular das superfícies articulares e que tem função de lubrificante para reduzir a fricção.

Superfície externa ou fibrosa: formada por tecido conjuntivo denso, fibroso, reforçada na sua superfície lateral, onde se forma o ligamento temporomandibular.

A segunda função da cápsula articular é a propriocepção.


 

ligamentos ATM

Ligamento Temporomandibular (lateral): é um ligamento com uma certa espessura na face lateral da cápsula articular e impede o deslocamento lateral e posterior do processo condilar da mandíbula. É composto por duas porções: a parte oblíqua externa e a parte horizontal interna.  A parte oblíqua externa é a maior porção, presa ao tubérculo articular, cursa póstero-inferiormente para se fixar em uma região imediatamente inferior ao processo condilar da mandíbula, isso limita a abertura da mandíbula. A parte horizontal interna é a menor porção, está presa ao tubérculo articular cursando horizontalmente para se fixar à parte lateral do processo condilar da mandíbula e disco articular, isso limita o movimento posterior do disco articular e do processo condilar.

Ligamento Esfenomandibular: estende-se da espinha do osso esfenoide até a língua da mandíbula. Pode ajudar atuando como eixo da relação à mandíbula através da manutenção da mesma quantidade de tensão durante a abertura e fechamento da boca.

Ligamento Estilomandibular: é um ligamento acessório, composto por um espessamento da fáscia cervical profunda. Estende-se do processo estiloide para a margem posterior do ângulo e ramo da mandíbula. Tem uma função de ajudar a limitar a protusão anterior da mandíbula.


Inervação

Nervos: trigêmeo, nervo auriculotemporal, nervo massetérico e temporal profundo posterior.

O nervo mandibular (V3) fornece o suprimento nervoso principal da ATM. A inervação adicional vem do nervo massetérico e nervos temporais profundos. Fibras parassimpáticas do gânglio ótico estimulam a produção sinovial. Neurônios simpáticos do gânglio cervical superior atingem a articulação ao longo dos vasos e desempenham um papel na recepção da dor e o acompanham o volume de sangue.

inervacao atm

nervos ATM


Suprimento vascular

Artérias: temporal superficial, auricular posterior, artéria facial, timpânica anterior e faríngea ascendente, que são ramos da artéria carótida externa.

A suplementação da ATM é dada por três artérias principais. A alimentação principal vem da artéria auricular posterior (a partir da artéria maxilar) e da artéria temporal superficial (um ramo terminal da artéria carótida externa). Além disso, uma parte da suplementação da articulação é fornecida pela artéria timpânica anterior (também um ramo da artéria maxilar). Já os drenos de sangue venoso, são  feitos por meio da veia temporal superficial e a veia maxilar.

suplementacao sanguinea


Músculos 

A ATM se relaciona com alguns músculos, que tem função de elevação, protusão, desvio e outros. Estão nesse grupo:

Pterigoideo Lateral: É um músculo da mastigação muito importante na ATM.

Feixe superior:
Origem: asa maior do esfenoide.
Inserção: cápsula articular.

Feixe inferior
Origem: face lateral da lâmina lateral do processo pterigoide do osso esfenoide.
Inserção: fóvea pterigoidea da mandíbula.
Função: elevação, protrusão e desvio lateral.

Pterigoideo Medial: 

Origem: asa interna do processo pterigoideo.
Inserção: ângulo interno da mandíbula, medialmente a inserção do masseter.
Função: elevação e desvio lateral (unilateral)

Temporal: 

Origem: fossa temporal e superfície lateral do crânio.
Inserção: processo coronoide e borda anterior da mandíbula.
Função: elevação da mandíbula.

Masseter: 

Origem: arco zigomático.
Inserção: ângulo da mandíbula.
Função: elevação da mandíbula.


Posturas da ATM e da mandíbula

  • Relação cêntrica: côndilo-disco está mais superior e anterior na fossa mandibular
  • Máxima intercuspidação habitual: dentes superiores contatam os inferiores
  • Repouso: dentes não estão em oclusão
  • Rotação: côndilos giram no seu longo eixo
  • Translação: côndilo caminha anteriormente
  • Abaixamento: abertura da boca
  • Protrusão e retrusão: boca para frente e para trás.

Movimentos 

1. Depressão mandibular (abertura da boca) e elevação mandibular (fechamento da boca):

Na depressão o côndilo gira em relação ao disco e o disco gira em relação à eminência.No final do movimento ocorre uma translação do côndilo e do disco juntos ao longo da eminência o que resulta numa abertura posterior no compartimento superior. Já na elevação da mandíbula ocorre o inverso, primeiro há translação posterior seguida pelo giro do côndilo posteriormente sobre o disco.

movimentos ATM

2. Protrusão mandibular (projeção do queixo para frente) e retrusão mandibular (deslizamento dos dentes para trás):

Durante a protrusão e retrusão o movimento é de translação e ocorre na articulação superior. O côndilo e o disco conjuntamente translacionam anterior e inferiormente ao longo da eminência articular na protração e posterior e superiormente na retração.

3. Desvio lateral da mandíbula (deslizamento dos dentes para ambos os lados).

No desvio lateral a mandíbula desloca-se em torno de um eixo vertical onde um côndilo gira e o outro translaciona para frente.

Os movimentos mandibulares são criados por combinações de rotação e deslizamento nas articulações superiores e inferiores. Sendo controlados pela delicada interação de muitos músculos.

13 COMENTÁRIOS

  1. No inicio do texto ao citar q a capsula articular é um tecido conjuntivo denso eu acredito q ouve um engano, pq ela é de tecido conjuntivo frouxo e fibroso, no caso quem seria d tecido conj denso é o Disco articular.

  2. Olá, Jefferson… eu tenho uma pergunta. Meus professores falam, falam e não a respondem… Pessoas que deslocam a mandíbula todas as vezes que bocejam… isto uma hora pode prejudicar a articulação. Pois o ligamento está fragilizado. Existe algo específico que o odontólogo deve realizar no paciente numa situação dessas? Poderia me explicar?

    • Olá, Alessandra. Tudo bem?
      A luxação de ATM pode acontecer por várias situações, a etiologia pode variar desde estresse crônico advindo de muito esforço para mastigar, abrir a boca (bocejar) ou até mesmo, fisiológico. Os problemas podem se localizar em várias estruturas diferentes que compõe a ATM. Seja no disco articular, ligamentos articulares ou até mesmo côndilo e fossa. Um paciente que só de bocejar tenha a luxação/deslocamento da mandíbula deve procurar o mais rápido possível um especialista em Dor Orofacial por não ser um problema comum. O cirurgião dentista, frente a uma situação dessa, deve orientar o paciente a não exceder esforços de abertura bucal. Quando mais luxação tiver, pior pode ser o quadro para se reverter. Mas o tratamento só é dado através de uma avaliação minuciosa da causa. Alguns exames de imagem, como a tomografia, cintilografia da ATM, ressonância e outros podem ajudar no diagnóstico diferencial.

      Obrigado por acessar o Odonto Up! Volte sempre.

    • Esse termo “Odontólogo” foi mudado desde 2011, usando uma nova nomenclatura. Cirurgião(ã) dentista. (CD). OBS: isso é uma crítica construtiva… Não é soberba, pelo contrário gente. Estou aqui para aprender com vocês… Espero trocar informações preciosas para ascender nossa profissão. Abraço Jefferson e Alessandra Dultra! Cordialmente: Paulo George.

      • Caro Paulo,

        Estamos sempre na tentativa de trazer as informações de maneira integra e atualizada. Segundo o CFO, o termo correto é cirurgião-dentista. Estamos verificando se no conteúdo do Odonto Up utilizamos a palavra odontólogo.

        Obrigado por acessar nosso site.

  3. Oi tudo bem estou em duvida sobre a articulação tem por o mandibular o que Vc m resume. E processo zigomático do osso frontal me explica eases

    • Olá Luana,

      Talvez a sua pergunta não tenha ficado muito clara para nós. Quais as suas dúvidas sobre a articulação temporomandibular? E, especificamente, sobre o quê você tem dúvidas sobre o processo zigomático do osso frontal?

    • Boa tarde, Marcelle.

      Não sei se entendi sua pergunta totalmente. Mas vamos lá: ATM significa Articulação Temporomandibular. Já a DTM (disfunção Temporomandibular) se dá quando alguma coisa não está correta com a ATM. Você quer saber se, mesmo com a boca fechada,você sente um descolamento isso significa alguma disfunção? Se for isso, o ideal seria você procurar um especialista em DTM para poder te examinar e identificar o que não está correto.

      Abraço

  4. Parabéns pelo conteúdo,estava com bastante dúvidas sobre o assunto e me ajudou muito,os estudantes de odontologia agradecem kkk , abraços!

ENVIE UMA RESPOSTA