1. Os primeiros pesquisadores que perceberam a importância da anatomia e fisiologia da ATM e dos movimentos mandibulares na oclusão, sentiram a necessidade de criar um aparelho que pudesse simular as ATMs, posicionar os modelos e reproduzir os movimentos mandibulares essenciais a uma oclusão satisfatória. Assim surgiu o articulador, instrumento valioso para o cirurgião dentista que está preocupado com a reconstrução de uma boa oclusão. Uma das vantagens dos modelos montados em articulador é a capacidade dos sistemas de articuladores de simular e quantificar a discrepância entre RC e MIC em nível condilar. Sobre RC é incorreto que:

  1. Em relação cêntrica os côndilos estariam em suas posições mais ântero-superiores nas fossas mandibulares
  2. Na posição de relação central o côndilos ficam apoiados nas vertentes posteriores das eminências articulares, com o disco adequadamente interposto e os dentes em contato.
  3. Relação Central é a posição mais musculoesqueleticamente estável da mandíbula.
  4. Nos modelos montados em articulador na posição de RC podem ser detectadas situações não observadas nos modelos tradicionais, ou pela manipulação da mandíbula durante o exame clínico.
  5. RC pode coincidir com MI e quando isso ocorre chamamos de Relação de Oclusão Cêntrica.

2. O passo mais importante na reconstrução de uma prótese total é o registro da correta relação vertical e horizontal da mandíbula com a maxila, para o correto restabelecimento da mastigação da fonética e da aparência. As relações verticais estão correlacionadas com as horizontais e o sucesso ou falha da prótese total depende do registro apropriado de ambas. A respeito das relações mandibulares que devem ser muito bem observadas durante uma reabilitação assinale a alternativa correta:

  1. Dimensão Vertical de Oclusão é a distância vertical entre dois pontos, sendo um na maxila e um na mandíbula, quando as superfícies oclusais não estão em contato.
  2. Uma DVo aumentada ou diminuída pode trazer danos permanentes ou passiveis de recuperação ao paciente, tanto relacionados com a função mastigatória, muscular, articular e com a fonética e a estética, e sua alteração com relação à diminuição pode estar relacionada principalmente com o desgaste ou ausência de elementos dentários e o seu aumento pela confecção de trabalhos protéticos mal executados.
  3. A DVO é estabelecida com o aparecimento dos primeiros molares decíduos, por volta dos dezesseis meses e, a partir daí, não sofre alterações.
  4. Os danos ocasionados pelas alterações da DVO são diversos e de uma maneira geral estão relacionados com problemas estéticos, fonéticos, dentais e de deglutinação, e não serão relacionados com desordens musculares e articulares.
  5. As alterações relacionadas com o aumento da DVO provocam um espaço funcional livre excessivo e os seguintes danos podem ser observados: desgastes dentais acentuados; oclusão traumáticas com comprometimento periodontal; sobrecarga da articulação têmporo-mandibular; reflexos na audição; envelhecimento precoce devido à perda dos tônus da musculatura da expressão facial; face com aspecto encurtado; apareciemento de queilite angular.

3.  Responda verdadeiro ou falso.

( ) No enceramento diagnostico devemos observar os contatos entre dentes posteriores (pré molares e molares) formando tripodismo (A, B e C), esses contatos são importantes para a estabilização e dissipação de forças da mastigação de maneira que não traga prejuízo ao aparelho estomatognático ou estrutura dental e de suporte.

( ) Para uma reabilitação extensa da oclusão, o encerramento diagnostico dos modelos deve ser realizado com o registro em EFL (espaço funcional livre).

( ) O registro de máxima intercuspidação pode ser realizado quando o paciente apresenta desgaste dos dentes posteriores.

( ) Se as cúspides dos dentes posteriores forem muito altas não respeitando aas curvas de SPEE e WILSON, interferem nos movimentos de lateralidade.

  1. V, V, F, V.
  2. V, V, V, F.
  3. V, F, F, V.
  4. F, V, F, F.
  5. V, V, V, F.

4. O articulador semi-ajustável nos permite realizar ajustes para reproduzir os movimentos mandibulares muito próximos dos realizados pelo paciente. Esses ajustes permitem com que o tratamento planejado seja realizado com muito mais precisão, economizando tempo de consulta, tempo do paciente e dinheiro. Se essa precisão é conseguida pela reprodução dos movimentos, quais ajustes devemos calibrar no articulador.

  1. Ângulo de Wilson, ângulo de Camper e mesa incisal.
  2. Guia côndilar, ângulo de Bennet e pino incisal.
  3. Ângulo do pino incisal, ângulo de Camper e ângulo de Bennet.
  4. Guia côndilar, ângulo de Camper e ângulo gônico.
  5. Ângulo de Fishcer, ângulo de Bennet, ângulo de Camper.

5. O encerramento diagnostico deve seguir um padrão para que não haja interferências. No envelope de POSSELT abaixo, observamos os movimentos bordejantes contactantes e suas etapas. Ordene com números estas etapas:

( ) Deslize em cêntrica.
( ) Topo-a-topo.
( ) Protrução máxima.
( ) Máxima intercuspidação habitual.
( ) Relação cêntrica.

6. A estabilização vestíbulo-lingual e mésio-distal de um dente é dada pelos contatos oclusais. O maior número de contatos simultâneos bilaterais se faz necessário para auxiliar na determinação do sentido axial das forças oclusais sobre o dente. De acordo com este critério assinale a alternativa correta:

  1. O ligamento periodontal possui orientação das fibras que prioriza a absorção de cargas oclusais no sentido horizontal e obliquo.
  2. O aumento da compressão do dente sobre o ligamento periodontal faz com que o mecanismo hidráulico sobre o osso aumente a permeabilidade vascular e permita maior atividade osteoblástica:
  3. Oclusão mutuamente protegida é aquela na qual os dentes posteriores tem contatos mais efetivos durante o fechamento (MI) e os dentes anteriores são responsáveis pelos movimentos excêntricos.
  4. As curvas de compensação de Spee e Eilson dificultam os movimentos desoclusivos e a manutenção das características da oclusão mutuamente protegida.
  5. A força resultante dos contatos oclusais não deve ser direcionada no longo eixo do dente pois dessa forma haveria possibilidade de fraturas de esmalte conhecidas como abfração.

7. Fatores oclusais podem ser responsáveis por alterações na ATM. No exame clinico oclusal deve-se considerar fatores estáticos e dinâmicos para a visualização de um planejamento reabilitador que estabilize o quadro. Assim, de acordo com as alternativas assinale a correta:

  1. A ausência de 5 ou mais elementos posteriores pode aumentar a pressão intra-articular devido à falta de apoio oclusal que acarreta uma alavanca de tensão sobre a ATM.
  2. Trespasse vertical negativo é responsável pela ausência de guia anterior.
  3. Mordida cruzada uni ou bilateral fazem com que a distribuição de forças no longo eixo do dente fique prejudicada.
  4. O hiperbalanceio é caracterizado por interferências oclusais no movimento protrusivo.
  1. V, V, F, V.
  2. V, V, V, F.
  3. F, F, V, F.
  4. V, V, F, V.
  5. V, V, V, V.

Respostas

 

Questão 1.

Letra D.

Questão 2.

Letra B.

Questão 3.

Letra A.

Questão 4.

Letra B.

Questão 5.

1, 4, 2, 3, 5.

Questão 6.

Letra E.

Questão 7.

Letra E.

Contribuição; Leonardo Martins Sant’Anna, Biotecnologia

3 COMENTÁRIOS

  1. Exercício muito bom, mas tenho uma observação sobre a questão 1.
    A alternativa B diz que quando em Relação Cêntrica os dentes estão em contato, o que não é regra na RC.
    E a alternativa D afirma que quando os modelos montados em articulador na posição de RC podem ser observadas situações que não observadas nos modelos tradicionais e no exame clínico. Afirmativa verdadeira.
    O gabarito deveria ser letra B e não D
    Se eu estiver equivocado por favor desconsiderem esse comentário.
    Parabéns pelo excelente trabalho desenvolvido.

    • Caro Felipe,

      Vamos verificar o conteúdo desse exercício o mais rápido possível e ajustarmos o gabarito se necessário

      Obrigado por acessar o Odonto Up e colaborar para melhorarmos sempre.

  2. Primeiramente, parabéns aos envolvidos no desenvolvimento do site. A respeito das questões, tenho alguns questionamentos e ressalvas para fazer (caso eu esteja errado, desconsidere):
    Na questão 3, no segundo item, a questão sugere que seja feito um “registro em EFL”. O EFL (Espaço funcional livre) é apenas um espaço característico da posição de repouso da mandíbula (onde obtém-se a dimensão vertical de repouso) e não é considerado uma relação maxilo-mandibular, comprometendo, desta forma, a afirmativa que a partir deste ponto é dada como Falsa.
    A respeito da questão 6, o gabarito não deveria ser a letra “E”. Esta alternativa diz que as forças dissipadas na direção axial (isto é, no longo eixo do dente) devem ser evitadas para que não ocorram lesões de abfração. As lesões de abfração ocorrem, justamente, pelos traumas oclusais crônicos em sentido não axial. Estes causam uma flexão nos tecidos na região cervical e, por consequência das forças excêntricas, ocasionam a fratura do esmalte.
    Espero ter ajudado. Parabéns pela inciativa.

ENVIE UMA RESPOSTA