Digestão – fracionamento de macromoléculas produzindo moléculas menores.

Fases da digestão

A) Fase gástrica

  • A ação mastigatória dos dentes promove a desnaturação inicial da PNT (proteína);
  • Ocorre no estomago e exige a presença de enzimas digestivas.

B) Fase pancreática

  • Exige a participação do pâncreas que está localizado na curvatura do duodeno no terço proximal do intestino delgado.

C) Fase intestinal

  • No intestino ocorre o termino da digestão;
  • As células do intestino liberam colecistoquinina que tem duas ações;

Colecistoquinina – hormônio liberado/produzido pelo intestino – (Hormônio da saciedade)

1° Ação (C1) – diminui motilidade estomacal;

2° Ação (C2) – Maior secreção de enteropeptidase (enzimas intestinas).

Absorção de aminoácidos

Absorver – significa retirar do intestino e jogar no sangue.

Existem duas modalidades de absorção intestinal:

  • Transporte ativo
  • Transporte passivo

Destino dos aminoácidos circulantes

Fígado – os aminoácidos chegam até o fígado pelo sistema porta hepático (S.P.H)
O que acontece com aminoácidos no fígado?
proteina 1

A) Esqueleto carbônico – usado para produzir energia;

B) Grupo amino – é toxico e deve ser eliminado.

O fígado converte o NH2 em amônia e uréia.
A uréia é menos toxica e solúvel em H2O;
A uréia é devolvida para o sangue e secretada pelos rins.
E se os rins falharem?
Insuficiência renal.

Obs.: Ataca de ureia no sangue do intestino suficiente renal ela aumenta (hiperuremia).

I.R – perda da função dos rins classificação:

Aguda X Crônica

I.R aguda – perda rápida da função renal

Causas:

  • Diminuição da circulação sanguínea para os rins. Ex: por trauma;
  • Anormalidade dos rins;
  • Obstrução do sistema coletor.

I.R crônica – perda lenta e progressiva da função renal

Causas:

  • Nefropatia – pode estar relacionada com hipertensão persistente;
  • Glomerulonefrite – inflamação do glomerulo;
  • Infecções renais;
  • Diabetes – principal causador de I.R crônica.

Diagnóstico

Exame de sangue

  • Taxa de ureia no sangue;

Exame de urina

  • Proteínas;

Tratamento (TTO)

Aguda – aumentar o volume de sangue (volumia) solução salina desobstruir ductos.

Crônica – Dialise peritoneal (utiliza a membrana peritoneal)

  • Infusão (quando o liquido entra);
  • Permanência (ocorrer a difusão);
  • Drenagem (para o liquido ir para a bolsa de drenagem).

Hemodiálise (filtra o sangue e devolve ao organismo extracorporeamente) curiosidade = o coração bombeia mais (cardiomegalia).

Conseqüências = hipertensão arterial, anemia severa, descalcificação, desnutrição, hepatite, aumento do peso.

Transplante renal = não se tira o rim, coloca-se o 3º.

Alterações bucais em pessoa com Insuficiência renal

Manifestações bucais

  • Xerostomia – falta de produção salivar;
  • Estomatite urêmica – ureia;
  • Alterações radiográficas dos ossos maxilares – descalcificação;
  • Formação cálculo dentário;
  • Reduções nas velocidades de fluxo salivar;
  • Relação a carie dental.

Considerações finais

I.R assim como a diabetes, aterosclerose e obesidade, é uma doença multifuncional que afeta centenas de milhares de pessoas.

Sintomas = 75% da função renal

Conteúdo baseado na aula do prof João Armando Brancher, Universidade Positivo
Contribuição: Leonardo Martins Sant’Anna, Biotecnologia

ENVIE UMA RESPOSTA