Mucosa com coloração esbranquiçada à acinzentada de forma homogênea ou heterogênea que podem aparecer nas lesões fundamentais de mancha, placa e por vezes pápula atribuídas a etiologia diversa dentre as quais: Condições hereditárias, Lesões reacionais, Reações auto imunes.

São frutos de alterações de morfostase tecidual e celular frente à mudança homeostática, ou seja o equilíbrio intercelular e intersticial se modifica, resultando em hitopatologias básicas representadas por:

  • Camada superficial espessa (Hiperqueratose)
  • Epitélio espesso (Acantose)
  • Células edemaciadas (espongiose)
  • Atipias e displasias celulares

Hiperqueratose

Lesão branca resultado de uma etiologia friccional crônica contra uma determinada superfície da mucosa da boca (análoga ao calo cutâneo)

 Caracterísiticas clínicas: Como dito anteriormente é uma mudança de cor, onde ocorre opacificação de uma área traumatizada. Tem predileção por aparecer em lábio e mucosa jugal em forma de mancha ou placa.

 Caracterísiticas histopatológicas: Como o próprio nome da entidade patológica já diz, ocorre um aumento na produção de queratina na superfície, resultando no mascaramento do componente vascular, tornando a mucosa opaca, esbranquiçada.

Pode ocorrer a denominada hiperparaqueratose quando não há camada granulosa evidente, e a maturação das camadas superficiais do epitélio acaba sendo intensa, e aprisionando fragmentos nucleares ainda no interior da queratina depositada. Além do mais, outra variação é a hiperortoqueratose, ao contrário da anterior, ocorre maturação oredenada, contendo camada granular evidente e queratina “pura”.

Leucoedema

Lesão branca de etiologia desconhecida, localizada em mucosa jugal, geralmente bilateral, onde se observa opacificação generalizada desta mucosa.

Muitos autores tentaram estabelecer uma origem para esta lesão, contudo uma teoria aceita, mas ainda não evidenciada em pesquisas apuradas é a denominada teoria eletrobioquímica, onde ocorrem alterações salinas, ou deficiência da bomba Na+/K+ e conseqüente entrada de líquidos no interior celular.

O diagnóstico do leucoedema não é difícil de afirmar. Utiliza-se uma manobra clínica de estiramento da mucosa. Quando se estica a lesões some, e quando solta a mucosa ela reaparece. Essa manobra é sempre necessária num exame clínico frente a uma lesão branca em mucosa jugal com opacificação para afastar ou mesmo afirmar o diagnóstico de leucoedema.

Caso afirmativo a literatura preconiza apenas proservação e marcação na ficha clínica do paciente o diagnóstico de leucoedema, não sendo necessário a confecção de biópsia.

Caracterísiticas histopatológicas: Como deriva o sufixo edema, a espongiose é a característica fundamental nesta patologia. O exame anátomo patológico revela intenso edema intracelular nas células epiteliais de revestimento, com possível acantose ou mesmo hiperqueratose adjuvante

Nevo Branco Esponjoso

É uma patologia com fator etiológicorelacionado a condições hereditárias, autossômica dominante, onde ocorrem mutações puntuais de queratina 4 e/ou 13.

 Características clínicas: Usualmente estão presentes desde o nascimento, ou mesmo fase de infância,e são detectadaspor apresentarem com características de placas brancas, geralmente simétricas espessas ou mesmo corrugadas afetando mucosa jugal bilateralmente. Outras localizações anatômicas que podem ocorrer, embora mais raras são  ventre de língua, mucosa labial e palato mole.

 Características histopatológicas: Os aspectos histopatológicos são bem característicos, no entanto não são patognomônicos. A hiperqueratose e evidente acantose são achados comuns. Contudo condensação eosinofílica é observada na região perinuclear das camadas superficiais do epitélio ( este achado peculiar desta entidade patológica).

Grânulos de Fordyce: 

Grânulos de Fordyce são glândulas sebáceas ectópicas compreendendo grânulos múltiplos, isolados ou agrupados, distribuídos difusamente na mucosa bucal. Apresentam-se assintomáticos, muito freqüentes especialmente localizados em mucosa jugal e lábio superior.

  • Diagnóstico diferencial:  Candidose, leucoplasia.
  • Tratamento: não requer.

Conteúdo baseado na aula do Professor Allan Giovanini

ENVIE UMA RESPOSTA