Está relacionado com a limpeza e a desinfecção e/ou
esterilização de instrumentos e materiais.

Os artigos são classificados como:

  1. Crítico
  2. Semi Críticos
  3. Não críticos

a. Críticos: utilizados em procedimentos de alto risco de
desenvolvimento de infecções ou que penetram em tecido conjuntivo (requerem esterilização para uso)

b. Semi Críticos: entram em contatos com as membranas mucosas integras e pele não integra ex: espelhos clínicos, moldeiras, condensadores, entre outros (requerem a desinfecção de alto ou médio nível ou a esterilização)

c. Não Críticos: artigos utilizados em procedimento com baixo
risco de desenvolvimento de infecção associada ou artigos que entram apenas em
contato com pele integram. (requerem a desinfecção de baixo nível ou limpeza).

O processamento requer um processo sistemático de modo a
evitar o cruzamento de artigos não processados (sujos) com artigos limpos
(esterilizados/ desinfectados)

Artigo sujo  → Exposição ao agente de limpeza → Enxágue → secagem → Barreira Física → Inspeção visual → Preparo e embalagem → Desinfecção/ Esterilização → Armazenamento


Desinfecção:

Elimina a maioria dos microrganismos patogênicos de objetos e superfícies, com exceção de esporos bacterianos. Deve ser definido o grau de desinfecção de acordo com o artigo que será processado.

Limpeza do Artigo:
Remoção da sujeira a fim de reduzir a carga microbiana e desse modo garantir o
processo de desinfecção/esterilização e a manutenção da vida útil do artigo.

Limpeza Manual:
Remoção da sujidade por meio de ação física, utilizando:

– escova de cerdas macias e cabo integram;

– escova de aço para brocas;

– escova para limpeza de lúmen;

– pia com cuba profunda específica e preferencialmente com torneira com jato
direcionável.

Limpeza Mecânica:
Procedimento automatizado para a remoção de sujidade. São utilizados lavadoras
com jatos de água ou lavadoras com ultra-som de baixa freqüência. Esse
processo  diminui a exposição dos
profissionais aos riscos ocupacionais de origem biológica, especialmente ao
vírus da Hepatite e HIV.

Enxágue:
Com água potável e corrente, a fim de garantir a total retirada das sujidades e do
produto utilizado na limpeza. Recomenda-se que no ultimo enxágüe seja utilizada
água livre de metais pesados já que existe uma relação entre a qualidade da
água e a durabilidade do material.

Secagem:
 Deve ser criteriosa para evitar que a umidade interfira nos processos e para diminuir a corrosão dos artigos. Utilização de toalhas de papel descartável, pano limpo e seco exclusivo para esta finalidade e secadora de ar quente/frio.

Inspeção Visual:
Verificar a eficácia dos processamentos de limpeza e as condições de
integridade do artigo. Se necessário deve se proceder novamente a limpeza ou a
substituição do artigo.

Embalagem:
Deve permitir a penetração do agente esterilizante e proteger os artigos de modo a
assegurar a esterilidade até a sua abertura. Para esterilização em autoclave
recomenda-se papel grau-cirúrgico, tecido não tecido (TNT) entre outros.

Esterilização:
Artigos utilizados na cavidade bucal exigem o máximo rigor no processamento.
Recomenda-se a sua esterilização por autoclave, pois o uso de desinfetantes não
assegura a remoção total dos patógenos, especialmente, os esporos bacterianos.

A taxa de sucesso é de 1/ 106, mas para isso é fundamental que os passos do processamento de artigos tenham sido feitos com todo o rigor necessário.

A esterilização é uma ação que combina temperatura, pressão
e umidade, promovendo uma termocoagulação e a desnaturação das proteínas das
estruturas genética celular.

Existem dois tipos de autoclave:

→ gravitacional

→ pré vácuo

Os valores de autoclave para estufa variam, veja:

AUTOCLAVE

Temperatura

Pressão

Tempo

121°

1 atmosfera

15 a 30 minutos

132°

2 atmosferas

4 a 7 minutos

 

ESTUFA

Temperatura

Tempo

160°

2 horas

170°

1 hora

Se comparado com o tempo que é necessário na estufa e a praticidade (pois na
estufa só pode ser aberto depois de 2 horas – que é o tempo necessário para ser
feita a esterilização) a autoclave é mais recomendada.

Armazenamento dos Pacotes:
Em local limpo e organizado periodicamente, sendo verificados sinais de infiltração, presença de insetos, retirando-se pacotes danificados,
com sinais de umidade e prazo de validade de esterilização (15 dias é seguro
para manter a esterilidade do pacote, mas existem estudos que mostram que esse
prazo pode se estender).

3 COMENTÁRIOS

ENVIE UMA RESPOSTA